Idade na alma – Viver bem na época de ouro!

por | 25 agosto 2015 | 33 Comentários

Enfermeira obstétrica, Psicóloga e YouTuber. Madura, vivendo o feminino pleno, o tempo do carvalho. Com netos que provocam o impulso de amadurecimento e atualização continua. Amo os livros. Amo as cores. Amo as artes. Adoro viajar. Aprender e ensinar é minha paixão. Sou profundamente inspirada no universo das boas conversas.

Minha alma não tem idade.
Às vezes acordo e tenho cinco anos.
Quero ainda acreditar na magia e no pó do pirlimpimpim…Às vezes acordo e tenho 15 anos.
Tenho força e sinto que posso mudar o mundo…Às vezes acordo e tenho 30 anos.
Piso a terra, mas sei que posso voar…
Às vezes acordo e tenho 60 anos.
Tenho a experiência e quero dividir.
Oferecer a tranquilidade e a sabedoria do tempo, que não pára, que cura, que cicatriza…

Às vezes acordo e não sei quantos anos tenho e
nem quantos se passaram.,,
E é na alma, repleta de amor e recordações que sinto todas as idades, me mostrando uma vida rica e preciosa.
E é lá que encontro o meu grande tesouro, uma linda colcha de retalhos,
única, original e que leva a minha assinatura.
Nela está escrito VIDA!'”

Texto publicado no Filhas da Terra.
Por Regina Damasceno.

“As vezes acordo e sei exatamente que idade tenho. E quem disse que acredito?”

Apresento-te este poema desejando que estes também sejam estados de alma experienciados por ti na maturidade e que cronologia no tempo linear te seja uma experiência cada vez mais relativa.

Uma boa representação dos diferentes estados que co-habitam cada ser são as bonecas de encaixe, russas: as matrioskas (incrível porque a tradução é ouvir!, e entendo isto como uma convocação da vida pra escuta atenta em cada fase pro que a vida quer nela e de nós) ou babuchka (avozinha)/dyeduchka (avozinho).

Capto-as como diferentes fases e dimensões de nós que são inclusivas. As avós e os avôs trazem em si as dimensões do ser maduro, do adulto jovem, do adolescente, da criança…estas e outras fases que ainda nos habitam nas suas qualidades, talentos  e habilidades para experienciar a vida). Exercitemos!!! Porque a vida nos convoca a estarmos aqui e agora “vivendo bem na idade de ouro”!

beleza madura-Lorena Carvalho 15-jul 2015-foto Leia Senem