Sobre Lorena

Lorena - Vovozen.com

Lorena Carvalho, nascida numa lua nova de 1950 na Cidade Maravilhosa, em tempos de Capital Federal. Rio de Janeiro: natureza exuberante, belas construções, grandes avenidas… um local de atração para brasileiros do Oiapoque ao Chuí e para estrangeiros trazidos pelo futebol, pelo samba e pela ginga da mulher brasileira.

Loira, cabelos encaracolados e olhos cor de mel ficamos, meus pais catarinenses e eu, 5 anos por lá. Voltamos pro “Rio de Janeiro do Sul”: Florianópolis. E aqui estou desde então reconhecidamente mané.

Nos doze anos de colégio das irmãs da Divina Providência, a quem sou profundamente grata, aprendi sobre ética, valores sólidos de vida e regras de “boa mocisse”, as quais estou tendo que revisar e liberar ao longo da vida. Deste tempo de colégio trago o gosto pelo estudo, pela leitura, pela escrita e por entender os provocadores e misteriosos códigos de convivência interpessoal.

Fui aluna na Faculdade de Enfermagem na primeira turma da Universidade Federal de SC e imergi nas formações ligadas a área da saúde da mulher. Desenvolvi nesta mesma instituição minha carreira profissional como professora, por 25 anos, tendo me aposentado como professora titular. Deste tempo rico, criativo, desafiador, com muitas descobertas sobre o processo de viver e me relacionar, através dos estudantes e dos colegas, houve o reforçamento de que aprender e ensinar são do movimento natural da vida. Aprendo a fluir na impermanência. Que bom!!!

Já casada, mãe de três filhos e grávida do quarto, uma carreira sólida e quase nada de tempo pra mim, cursei Psicologia. Esta escolha foi realizada pensando em aprofundar a compreensão de mim mesma, por conta de uma crise existencial iniciada em 1983 e por estar já focada no que fazer na aposentadoria, muito jovem, aos 48 anos, dali a 10 anos. O interesse por desvendar o mistério que somos sempre me apaixonou, dai a escolha pela psicologia que se agrega perfeitamente ao conhecimento da dimensão do corpo aprofundado com a enfermagem.

Na parceria amorosa são quase quatro décadas de convivência na qual, pensando no que me faz ficar respondo a mim mesma: pelos aprendizados sobre mim, sobre o outro, sobre a vida, sobre o mundo, sobre o amor. Ele pode me ensinar, urbana que sou e desconectada que estava, sobre os ciclos, as fases, os tempos das coisas e dos processos, lição que considero aprendida nos primeiros 16 anos de convivência. Nos últimos 24 anos de convivência aprendo sobre experienciar o amor incondicional. São lições profundas e valiosas que minha alma aprecia. Cada um dos filhos representa uma história e muitas lições. Sinto amor e profunda gratidão pelo que cada um é e me trouxe.

Nasci em 1950 mas me descobri e aprendi a respeitar as minhas singularidades, desejos, sonhos, a partir dos 33 anos de idade, quando ao experimentar o deserto interior, tendo tudo que se diz que traz felicidade e não ser/estar feliz, mergulhei verdadeiramente no processo de auto descoberta e auto revelação. E ele dura até hoje. Conectar com o daimon, a vocação, como denomina Platão, é processo sem fim. Assim me parece. O bom é que a jornada foi se tornando fácil, leve e prazerosa.

No gosto por gente de todos os matizes, as atividades profissionais que desempenho hoje estão ligadas a ajudar os que querem ir além das aparências… Querem mergulhar bem fundo no seu processo pessoal de crescimento e desenvolvimento. Nesta interajuda atuo como psicóloga clínica com adultos, como palestrante, conferencista, facilitadora de seminários, mestre de cerimônia, facilitadora de rituais de passagem (ex: rituais por ocasião da primeira menstruação, de casamento, de batizado, da menopausa…)facilito o Jogo da Transformação e interajo como Coach dematuridade….Acompanho grupos em viagens pelo mundo na condição de que enquanto cada um transita e descobre cidades e países “fora” e saboreia novas realidades, se permite circular por “cidades, países” e recantos interiores. Riquíssimo.

E a cereja do bolo! O grande encantamento, o grande motivo do blog: um neto de três anos e uma neta anunciada para o outono de 2015. Suprema felicidade! Gratidão!

Finalizando, considero-me amável, curiosa, apoiadora, agregadora, com riso solto, capaz de acolher e escutar.

Mulher na trilha do feminino pleno que integra a dimensão do profano e do sagrado. Tantas Lorena em uma!

São infindáveis histórias/estórias “embaixo dos caracóis dos meus cabelos” agora assumidamente grisalhos e…com os olhos não tão mel, por tudo que já viram da sombra, mas sempre brilhantes e curiosos.