Treino de desapego

por | 29 outubro 2015 | 6 Comentários

Enfermeira obstétrica, Psicóloga e YouTuber. Madura, vivendo o feminino pleno, o tempo do carvalho. Com netos que provocam o impulso de amadurecimento e atualização continua. Amo os livros. Amo as cores. Amo as artes. Adoro viajar. Aprender e ensinar é minha paixão. Sou profundamente inspirada no universo das boas conversas.

borboletas na mão

Menciono no título “treino” de desapego porque considero que há que se usar de disciplina pra efetivamente exercitar fluidez com o jeito como estamos e o que nos acontece. Isto nos permite a evolução para um outro estágio. Pra aquele estágio em que em nós é natural e frequente a flexibilidade, o jogo de cintura, o deixar-se tocar e soltar, o sim que não se apossa e nem retém.

E aí andei pensando que há algumas etapas até que consigamos nos desapegar de emoções/sentimentos, pessoas, situações, contextos…Menciono aqui três etapas interrelacionadas e denomino-as “dar-se conta”, “abrir mão” e “estabelecer laços”(aliar-se).

Compreendo “dar-se conta” como tomar consciência; “abrir mão” como decidir o que vai e o que fica; e “estabelecer laços” como tecer alianças.

Convido-te a acompanhar a viagem por um exercício de livre pensar sobre alguns poucos temas relacionados:

  • dar-se conta que aprisionar pessoas é aprisionar-se e que abrir mão delas e de todas as expectativas em relação a elas é ficar com o que pode ser vivido e aprendido e é aliar-se à LIBERDADE;
  • dar-se conta de que viver no passado é viver num “lugar” que não mais existe (porque se algo de lá nos mobiliza hoje, é presente) e abrir mão de viver no lamento do que nos faltou é aliar-se à PRESENÇA no aqui-agora;
  • dar-se conta de que criar fantasias, deixando de considerar muitas evidências e variáveis que nos fogem ao controle, sem abrir mão de esperar do outro, do mundo, da vida o que implica em ação pessoal, é caminho curto pra frustração e é deixar de aliar-se a VIVER O (NO) “REAL”;
  • dar-se conta de que a maior parte do pensado é ilusão, abrir mão do criado “nas nuvens” e que está sem raiz no mundo concreto é aliar-se com a DES ILUSÃO;
  • dar-se conta de que sonhos precisam de ação pra serem concretizados e abrir mão de pensamentos mágicos de que os resultados surgirão como mágica é estabelecer laços com  construir a própria história e AMADURECER;
  • dar-se conta de que se aprisiono idéias, situações, pessoas, e decido por abrir mão de ocupar mente, (a)braços e coração com o que ficou no tempo, considerando que tudo que é vivo pulsa, me alio a PULSAR;
  • dar-se conta de que vive-se situações incríveis, com pessoas incríveis, em momentos incríveis e abrir mão de “repetecos” e de ficar apegada revisitando o que era permite aliar-se à GRATIDÃO;
  • dar-se conta  quando se está sendo “massa”, pensando como “massa”, agindo como “massa” e abrir mão de ser manada representa aliar-se com SER SINGULAR;
  • dar-se conta de que se morre e re-nasce a cada instante e abrir mão do medo é estabelecer aliança com estar pulsante, VIVO.        

Poderia construir uma lista infindável, sabemos. Deixo agora contigo o bastão. Do que precisas te dar conta? do que precisas abrir mão? com o que decides estabelecer aliança para bem viver?

Te desejo boa tarefa, ótimas decisões e uma vida mais plena e feliz.

Que cada um de nós se torne ordinariamente magestosa(o), sábia(o), indomável e ousada(o), únicos, como fomos convidados pela vida a SER.